Escola tradicional e escola construtivista: quais são as diferenças?

Atualmente, os pais têm muitas dúvidas quanto a escolha da escola para os seus filhos. Com tantas abordagens pedagógicas, nem sempre é fácil identificar a melhor ou a mais indicada para eles.

Essa diferença entre as instituições e as abordagens acontece porque cada criança tem uma personalidade e uma maneira distinta de aprender, então as escolas adotam uma metodologia de ensino que mais se encaixa ao público em questão.

Por isso, se você quer entender melhor sobre quais as diferenças entre a escola tradicional e a escola construtivista, confira o conteúdo que preparamos para você!

Quais são os principais métodos de ensino?

Quais são os principais métodos de ensino?

Todos nós sabemos que vida muda muito rápido e se desenvolve como o passar do tempo, assim como na educação e nos métodos de aprendizado.

As formas de aprendizado estão evoluindo e continuarão a crescer no futuro. Até agora existem dois principais modelos de aprendizado que muitas vezes são confundidos pelos meios de ensino.

No primeiro, o ensino é considerado como a  transmissão de conhecimento aos alunos com o objetivo de que ele seja dominado por eles.

Este primeiro modelo considera que o sucesso é atingido quando os alunos dominam todas as “peças” de conhecimento, tanto quanto possível, que foram transferidas pelos professores.

Desta forma, ensinar é transmitir aos alunos. Esse tipo enfatiza para o professor uma parte mais ativa, e o aluno não é mais do que um ouvinte passivo com a educação de armazenar o que é passado.

No segundo modelo, o ensino é uma atividade que tem o objetivo de organizar ou gerenciar o ambiente da melhor maneira possível e também conectar-se com o aluno, para que haja um processo de aprendizado eficaz.

A primeira definição é praticada na maioria das sociedades tradicionais. O resultado é que elas dominam todo o conhecimento, mas não sabem como usá-lo e desenvolvê-lo.

Os alunos são como bebês que recebem alimentos pelos pais, mas não sabem de onde veio a comida, como fazê-la e como obtê-la.

Enquanto isso, em contraste com a primeira, a definição de ensino do segundo modelo é amplamente utilizada atualmente, especialmente em instituições de ensino das sociedades modernas e desenvolvidas.

O resultado é que os alunos não apenas dominam o material de aprendizagem, mas também conhecem suas origens, como obtê-los e desenvolvê-los.

Esta era global realmente exige que os educadores sejam criativos, inovadores, dinâmicos e independentes.

Ao aplicar a segunda abordagem, o ensino não apenas resulta na aquisição de conhecimento, mas também no aprendizado que produz domínio do método da ciência, no desenvolvimento de habilidades, personalidade e assim por diante. Dessa forma, atividades de auto-aprendizagem ocorrerão.

Se você quer entender melhor sobre quais são as diferenças entre a escola tradicional, referente a primeira abordagem, e a escola construtivista, a principal referência sobre a segunda abordagem, continue a leitura com a gente!

A escola tradicional

Uma sala de aula tradicional é onde o professor modera e regula o fluxo de informações e conhecimentos.

Espera-se que os alunos continuem desenvolvendo seus conhecimentos sobre um assunto fora da escola por meio de exercícios de lição de casa. Aqui, o principal recurso dos alunos é o professor, que atua como instrutor e que os ensina apenas pessoalmente.

Testes padronizados são administrados em intervalos regulares como forma de avaliar a compreensão dos alunos. É nesse modelo que o tempo, o local e o ritmo de aprendizado dos alunos permanecem constantes.

A seguir estão algumas das principais características da escola tradicional:

  • Os alunos costumam trabalhar sozinhos;
  • O currículo é apresentado com ênfase nas habilidades básicas;
  • A adesão estrita ao currículo fixo é altamente valorizada;
  • Toda lição depende muito de livros didáticos;
  • Os alunos obtêm as informações que são oferecidas pelos professores como certas;
  • Os professores buscam a resposta correta para validar a aprendizagem do aluno;
  • A avaliação da aprendizagem dos alunos é vista de forma separada do ensino e ocorre quase inteiramente através de testes;
  • Os professores usam apenas o quadro para escrever e para que os alunos possam copiar.
A escola construtivista

A escola construtivista

O construtivismo enfatiza a importância do espaço dialógico, onde a comunicação não é a transferência de conhecimento, mas a interpretação do conhecimento dentro de uma comunidade de aprendizes.

Desta forma, o construtivismo é uma visão filosófica que descreve como os alunos e seus professores interagem, como o tempo e o espaço da sala de aula são usados ​​e como o controle dentro da sala de aula está em um estado de equilíbrio entre professor e alunos.

O construtivismo pressupõe que a aprendizagem seja possível através dos fatores duplos da interação social e da exposição simultânea a experiências cognitivas.

As fontes de experiências cognitivas podem ser estimuladas por meio do professor, livro didático, objetos tridimensionais, software de computador, fenômenos ou reflexão sobre experiências anteriores de sala de aula ou de vida.

A ideia central do construtivismo é que a aprendizagem humana seja construída, que os alunos construam novos conhecimentos sobre os fundamentos da aprendizagem anterior.

Esse conhecimento prévio influencia o conhecimento novo ou modificado que um indivíduo constrói a partir de novas experiências de aprendizado, assim, a noção é que a aprendizagem é um processo ativo e não passivo.

A visão passiva do ensino vê o aluno como um recipiente a ser preenchido com as informações que são transmitidas pelo professor, enquanto o construtivismo afirma que os alunos só constroem significado através do envolvimento ativo com o mundo, como experimentos ou a solução de problemas reais.

As informações podem até ser recebidas passivamente, mas o entendimento não pode ser, pois deve resultar de conexões significativas entre o conhecimento prévio, o novo conhecimento e os processos envolvidos no aprendizado.

Confira a seguir algumas das principais características da escola construtivista:

  • As perguntas dos alunos são altamente valorizadas;
  • Os materiais incluem fontes primárias e manipulativas;
  • Os professores usam diferentes tipos de recursos para apresentar os materiais;
  • Os professores buscam os pontos de vista dos alunos, a fim de entender as concepções atuais dos estudantes para uso em aulas subseqüentes;
  • A avaliação da aprendizagem dos alunos é entrelaçada com o ensino e ocorre através de observações dos professores durante as aulas, trabalhos e exposições;
  • Os alunos trabalham principalmente em equipes ou grupos;
  • Os alunos nem sempre confiam nos professores, eles precisam aprender a resolver problemas sozinhos.

Enquanto que nas escolas tradicionais o foco do aprendizado é o conteúdo, sempre passado por um mestre à frente da sala, o método construtivista se trata do desenvolvimento do conhecimento por meio da interação do aluno com o meio em que vive.

A abordagem tradicional é muito comum no ensino. Mas, ela ignora os alunos que precisam do contexto em que o aprendizado progride de acordo com o nível de interesse dos mesmos.

As tendências emergentes concluem que as escolas construtivistas se concentram mais em atividades inovadoras e na aquisição de conhecimento.
Sendo assim, parece mais viável seguir uma abordagem construtivista para o ensino porque é muito mais fácil envolver os alunos em atividades inovadoras e criativas. Mas, vale ressaltar sobre a importância de avaliar as particularidades de cada criança antes de tomar a decisão sobre qual o tipo de escola escolher.

Gostou de entender melhor sobre quais as diferenças entre escola tradicional e escola construtivista? Então aproveite para entender melhor sobre como escolher uma escola infantil para o seu filho!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *