Como escolher uma escola infantil para o meu filho?

As instituições de ensino, assim como as crianças, possuem diferentes características e compassos. Por isso, a escola ideal para o seu filho nem sempre será a mesma em que os filhos dos seus vizinhos – ou os filhos dos seus melhores amigos – estudam.

Mas, diante deste cenário, você deve estar se perguntando: como escolher uma escola infantil para o meu filho?

Então, se você busca entender melhor sobre como lidar com esta questão, acompanhe o conteúdo que preparamos sobre o tema!

A seguir falaremos um pouco mais sobre o que observar na hora de escolher uma escola infantil, o que perguntar na primeira visita à instituição e como escolher uma metodologia de ensino para o seu pequeno.

O que observar na hora de escolher uma escola?

O que observar na hora de escolher uma escola?

As instituições de ensino desempenham e assumem um papel essencial em nossa sociedade. Por meio delas, as crianças desenvolvem o conhecimento e dividem experiências sociais além do contexto familiar.

Por isso, na hora de escolher uma escola para os nossos filhos, é comum que criemos expectativas e preocupações acerca da seleção ideal – ou seja, qual será a instituição capaz de oferecer contribuições importantes para o dia a dia e para o futuro de nossos pequenos?

Entretanto, é importante ressaltarmos que esta decisão precisa ser tomada de forma racional e a partir de conclusões obtidas por meio de sérias pesquisas e esclarecimentos.

Sendo assim, tenha como critérios de seleção o conhecimento sobre as metodologias, a clareza sobre as filosofias e as práticas oferecidas pelas instituições de ensino. Desta forma, fuja de recomendações sem embasamento ou com parâmetros de comparação duvidosos. 

Para te auxiliar nesta importante decisão, a seguir, daremos algumas dicas sobre o que observar na hora de escolher uma escola para o seu filho. Acompanhe!

Avalie o projeto pedagógico 

Toda instituição de ensino possui um documento sobre o seu projeto pedagógico. Nele constam as principais diretrizes seguidas pela escola. 

Sendo assim, essas informações necessitam ser acessíveis aos pais, responsáveis, professores e demais membros da equipe envolvida no processo educativo das crianças que ali estudam.

Avalie o comprometimento com a proposta de ensino 

Muitas escolas, infelizmente, após a construção de suas diretrizes, arquivam este documento e não o utilizam como indicador de seus processos educacionais. 

Fique atento! Escolas sérias esclarecem, ainda no primeiro contato, detalhes sobre o seu projeto pedagógico e sobre como são conduzidas as questões dentro do ambiente escolar.

Avalie a coerência entre os conteúdos e as avaliações propostas

Existe um senso comum na crença de que uma escola boa é aquela que trabalha com o maior volume de conteúdo, ou seja, muitas pessoas enxergam o volume de conteúdo distribuído ao longo do ano letivo como critério para avaliar se uma instituição é forte ou fraca. 

Sendo assim, é importante ressaltarmos que a quantidade de questões nada tem a ver com a qualidade das questões – e menos ainda com a classe das competências desenvolvidas pelos alunos.

A coerência entre os conteúdos selecionados e as avaliações propostas deve ser buscada por meio da reflexão sobre a oferta de possibilidade do desenvolvimento intelectual. Já que o objetivo social da educação vai muito além da prática sistemática de exercícios.

Avalie o ambiente escolar

Para muitos, a avaliação da estrutura física da instituição de ensino pode parecer um ponto com menor importância, mas é preciso reconhecer as necessidades específicas de cada indivíduo. 

Faz parte do processo de socialização de crianças com diferentes idades, atividades como: 

  • Brincadeiras e diversos tipos de tarefas fora da sala de aula;
  • Atividades esportivas que necessitam de estrutura específica;
  • Rodas de conversa, entre outras inúmeras práticas.

Desta forma, pode ser que algumas crianças se sintam desconfortáveis em locais que não ofereçam uma estrutura física adequada para as atividades propostas.

Até mesmo os momentos dedicados à descontração, como o intervalo, podem se tornar gatilhos para a insatisfação ou mal estar dos pequenos.

O que perguntar na primeira visita à escola

O que perguntar na primeira visita à escola

Após avaliar sobre a proposta de ensino, a sua coerência e a estrutura física da instituição, você deve estar se questionando: o que não posso deixar de perguntar durante a minha primeira visita à escola?

Existem muitas questões à serem abordadas, mas, pensando em otimizar o processo, pontuamos algumas das principais para que você possa se orientar durante este contato inicial. Confira! 

Diálogo com os profissionais 

Refletindo sobre a necessidade das crianças se desenvolverem com a dialética das relações e dos pensamentos, nada mais essencial à ser oferecido por uma instituição de ensino do que o diálogo aberto.

Se você não encontra livre acesso aos coordenadores, professores ou quaisquer outros profissionais que lidam com os alunos, tenha a certeza de que algo não está certo.

Vale ressaltar que, claro, todos os profissionais possuem uma agenda e compromissos estabelecidos, sendo assim, é natural que as visitas ou demais conversas necessitem de agendamento prévio. 

Inclusive, a prática deste tipo de marcação apenas comprova o comprometimento e a organização que a instituição de ensino tem à oferecer.

De qualquer forma, o mais importante é que essa troca não deixe de acontecer.

Professores e currículo pedagógico 

Como dissemos no início desta publicação, cada criança e cada instituição de ensino possuem suas características e particularidades – e com os professores não seria diferente!

Como indivíduos, cada professor tem o seu perfil. O que vale avaliar sobre este ponto é a forma como ele se compromete com a educação do seu filho.

Além disso, claro, é importante avaliar a experiência e o currículo dos educadores, assim como as possíveis especificidades da prática do ensino de cada disciplina.

Jamais valorize uma disciplina em detrimento de outra, pois, para que o processo educativo possa se construir de maneira eficaz, é fundamental o comprometimento e a aprendizagem multidisciplinar.

Projetos extracurriculares

As escolas diferenciadas são capazes de elaborar e oferecer aos alunos projetos que consolidam o aprendizado além da sala de aula. Os ambientes culturais e as práticas esportivas também são incentivadas e valorizadas.

Ao visitar a instituição de ensino, pergunte sobre os serviços oferecidos. Por mais que tais atividades possam parecer adicionais, elas são complementares e muito importantes para o desenvolvimento intelectual e social do seu filho.

Como escolher uma metodologia de ensino

Como escolher uma metodologia de ensino

A primeira instituição de ensino a receber o seu filho pode até não ser a mesma para o restante de sua vida escolar, mas certamente irá marcá-lo para sempre.

Por isso, é preciso escolher uma escola transparente em relação a tudo, mas, especialmente, sobre a sua metodologia de ensino. A partir do método de ensino escolhido, cada escola define importantes diretrizes, como:

  • Quais conteúdos serão ensinados, tendo em vista a base Nacional Curricular Comum (BNCC);
  • Como os conteúdos serão ensinados;
  • Como o aprendizado dos alunos será avaliado.

O alinhamento e a qualidade do diálogo entre os pais – ou responsáveis – e a equipe escolar fará toda a diferença na hora de bater o martelo sobre a escolha do método de formação para o seu pequeno. E, como dissemos anteriormente, nem sempre a metodologia ideal para uma criança é a mesma para outra.

Existem dezenas de linhas pedagógicas, mas, a seguir, falaremos brevemente sobre algumas das principais metodologias de ensino. Acompanhe!

Escola Construtivista

De forma objetiva, neste método pedagógico, a criança é a protagonista do seu processo de aprendizagem. Sendo assim, a educação não se trata de uma simples transmissão de conhecimento, vai muito além disso, ela se torna um processo capaz de oferecer o suporte que permite ao aluno experimentar e criar.

Nesta metodologia, o conteúdo serve como ferramenta para que os pequenos construam seu conhecimento por meio da formulação de hipóteses e da resolução de problemas. Ou seja, ninguém oferece as respostas prontas e, desta forma, a criança aprende a aprender.

Escola Freiriana

Esta é uma metodologia baseada na teoria de Paulo Freire, onde o desenvolvimento da visão crítica é proposto por meio das práticas em sala de aula.

Sendo assim, neste método o conteúdo é apresentado pelo professor ao aluno para que o debate aconteça e ambos possam aprender juntos, ou seja, o conteúdo não é denotado como uma verdade absoluta.

Escola Tradicional

Na metodologia pedagógica tradicional a figura do professor é central – ou seja, ele é o detentor de todo o conhecimento – e o aluno é visto como aquele que irá receber, como um depósito, os saberes oferecidos pelo educador.

Deste modo, o objetivo do professor é transmitir todo o conhecimento de forma clara e o papel do aluno é absorver tudo de forma passiva.

Quais habilidades o seu filho será capaz de desenvolver ao estudar em uma escola construtivista?

Ao chegar até aqui, temos claro que a metodologia de ensino construtivista tem como foco o processo de aprendizagem dos alunos por meio da reflexão. 

Existe um esforço constante pela autonomia das crianças e a desvalorização da clássica postura autoritária por parte dos professores.

Mas, na prática, você pode estar se perguntando: quais habilidades o meu filho poderá desenvolver ao estudar em uma escola construtivista? 

Por isso, listamos alguns benefícios que são facilmente percebidos:

  • Assim como observado na vida adulta, o meio é capaz de influenciar o nosso aprendizado. Seguindo esta premissa, a escola construtivista aumenta as potencialidades do aluno que leva em consideração a sua realidade social;
  • O professor tem o papel de mediar as práticas e não apresenta postura autoritária;
  • Os erros do aluno são problematizados para que ele busque as respostas por si. O aluno se torna então agente de seu processo de aprendizagem e o pensamento crítico é estimulado;
  • As falhas são vistas como motivação para o aprendizado – e não como mérito à punição;
  • O planejamento das aulas é baseado no conhecimento prévio e na bagagem cultural dos alunos.

Conforme dissemos anteriormente, não existe um método ideal para todos!

É necessário que a personalidade e o perfil de cada criança sejam avaliados em busca da melhor tomada de decisão sobre qual instituição de ensino eleger. 
É importante acompanhar o desenvolvimento do seu filho e observar como ele irá se adaptar a cada abordagem pedagógica.

Gostou de saber mais sobre como escolher uma escola infantil para o seu filho? Então aproveite para entender melhor sobre como educar um filho para enfrentar os desafios do mundo!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *